NCC Certificações

22/8/2014
NCC NEWS - PROTOCOLO IPV6 | RESUMO - ANATEL

Prezados,

Conforme reunião realizada na Anatel em 19/08/2014, referente aos ensaios do protocolo IPv6 em Cable Modem e aos terminais com interfaces aéreas aos Serviços Móveis, seguem as seguintes observações:

Link para acesso a consulta pública nº 13 (já finalizada) - sistemas.anatel.gov.br/SACP/Contribuicoes/ListaConsultasContribuicoes.asp?Tipo=1&Opcao=finalizadas&PaginaAtual=2&Registros=10&cboAno=2014

1- Equipamentos Cable Modem  Função Terminal com interface destinada aso Serviços de Acesso Condicionado com função de roteamento. Ex.: MTA, OTT (DOCSIS)
Os requisitos técnicos para Cable Modem, sofrerão alterações. A Anatel enviou os novos requisitos para aprovação do conselho e, em breve, fará a publicação destes. A partir da publicação deste requisito no site da Anatel, o mesmo entrará em vigor dentro de 90 dias. Dentro deste período a certificação do protocolo IPv6 não é compulsória. A partir deste período deve ser exigido os ensaios do protocolo IPv6. Isto é válido tanto para o processo de certificação quanto de manutenção.

Portanto, a análise do produto que anteriormente era somente Resolução nº 442 e Resolução nº 529, será acrescida do protocolo IPv6, o que demandará mais tempo para a análise destes tipos de produtos.

Inicialmente, como o Brasil ainda não tem nenhum laboratório preparado para estes ensaios, a Anatel aceitará relatório do exterior (versão inglês), ou os ensaios podem ser realizados em laboratório de 3ª parte, mediante avaliação e acompanhamento do OCD. Neste caso deve-se seguir a ordem de prioridade laboratorial descrito na resolução nº 242.

De uma forma geral, os fabricantes já têm estes ensaios realizados em laboratório membro ILAC, o que facilitará o processo de certificação. Um dos laboratórios citados na reunião é o Cable Lab.
O relatório deve ter data de emissão inferior a 2 anos.

Nota 1: Existem diferentes tipos de equipamentos com interfaces DOCSIS no mercado (Cable Modem, Cable-Router, eMTA, eMTA WiFi, STB). Alguns possuem apenas funcionalidades de bridge / CPE e outros possuem função de roteamento integrada ao equipamento. A especificação do eRouter (CM-SP-eRouter-I11-131120 ou superior) somente trata de equipamentos que possuam INTERFACES DOCSIS COM FUNCAO DE ROTEAMENTO INTEGRADO NO MESMO EQUIPAMENTO.
Portanto, os ensaios somente serão exigido para os equipamentos com interfaces DOCSIS e com funções de roteamento.

Nota 2: Prioridade laboratorial:

D. Na impossibilidade de cumprimento da preferência prevista no item anterior, o interessado poderá valer-se de outros laboratórios, observada a seguinte ordem de prioridade.
1. laboratórios credenciados;
2. laboratórios de terceira parte, não credenciados;
3. laboratórios não credenciados;
4. laboratórios de ensaio situados no exterior credenciados pelo Organismo Credenciador oficial do pais de origem, entendendo como tal um organismo membro do ILAC.

2- Celulares e ETAs  Função de terminais com interfaces aéreas aos Serviços Móveis

• Nenhum laboratório no Brasil está apto a realizar todos os ensaios;
• A Anatel encaminhará o requisito técnico de interfaces aéreas para aprovação até o dia 28/08 para aprovação do conselho. Entretanto, inicialmente a certificação será voluntária (não obrigatória).
• Após a publicação dos novos requisitos de IPv6 para interfaces aéreas aos serviços móveis, a Anatel criará um grupo de trabalho sobre as alterações da 3GPP. O intuito é estabelecer os itens de ensaios. Portanto, ainda não há data para a certificação obrigatória das interfaces aéreas aos serviços móveis com relação ao protocolo IPv6.
• Foi informado que até janeiro de 2016, a Anatel esteja exigindo a certificação compulsória de todos os produtos com relação ao IPv6.
• Os produtos que já estão certificados não precisarão ser submetidos aos ensaios do protocolo IPv6 durante o processo de manutenção.

A NCC esta à disposição para o esclarecimento de eventuais dúvidas.

voltar


SOLICITE UMA PROPOSTA



 

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER!




LOCALIZAÇÃO